Tentando adequar vinhos e pratos



Sempre nos preocupamos em dizer que toda vez que quisermos adequar o vinho

ao prato devemos levar em consideração o nosso gosto. Tudo bem e isso deve-se fazer

mesmo, mas para não correr o risco de errar muito, é bom sabermos que existem duas

fórmulas ideais para se combinar. A primeira refere-se às cores: tintos deve-se tomar

acompanhando carnes vermelhas; branco seco com peixe e branco doce com sobremesa. Já a

segunda diz respeito ao corpo do vinho :vinho encorpado com pratos mais substanciosos e

vinhos mais leves com pratos mais leves. Mas mesmo com essas duas regrinhas em nossa

cabeça devemos nos lembrar que elas não são rígidas e devem funcionar mais com lembretes.

Quando vamos comer uma massa , por exemplo, elas vão bem com qualquer

vinho sendo que devemos considerar o molho que usaremos. Os risotos por sua vez aceitam

desde brancos secos até tintos leves e nesse caso devemos ficar atentos aos ingredientes que

misturaremos ao risoto.

Peixes, que são sempre recomendados que se alie ao vinho branco podem

também ser acompanhados por tintos desde que não nos importemos com o sabor metálico

que os muitos tânicos podem vir a apresentar.

Para as entradas devemos sempre reservar um lugar para os espumantes até

mesmo porque sempre brindamos por algo no inicio do jantar e essa é a bebida ideal para se

brindar. Geralmente entradas são gordurosas como queijos e frios simples ou defumados que

sempre pedem vinhos brancos .

Ao final do jantar podemos ter à mão um branco bem doce tipo um colheita

tardia, pois com certeza a combinação será perfeita e sem erro nenhum uma vez que

sobremesa geralmente será um doce, sorvete ou uma fruta, o que não nos permitirá errar.

Enfim estamos sempre tentando acertar harmonizações dos alimentos com os

vinhos, para podermos desfrutar cada vez melhor nossos encontros com nossa família e

amigos.

Maísa Balardin

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo